HomeReviewsGuiasE-SportsMobile Gaming

Lançado recentemente para PC e PS4, No Man's Sky é um jogo de ficção cientifica desenvolvido e publicado pela Hello Games, uma pequena produtora independente sedeada em Guildford, Inglaterra.

O foco principal de No Man's Sky é a exploração, embora também exista combate, comércio e sobrevivência, numa aventura onde o objectivo principal é chegar ao centro da galáxia.



O jogo teve a sua primeira aparição num vídeo durante os Spike Video Game Awards de 2013. Inicialmente, o jogo tinha lançamento previsto para junho de 2016, mas a necessidade de realizar alguns retoques fez com que a Hello Games adiasse o jogo para o dia 10 de agosto de 2016.

O texto que vão poder ler de seguida é uma adaptação da análise em vídeo realizada para o canal do YouTube FAPS, e que está disponível no final deste artigo.


No Man's Sky é um daqueles jogos que definitivamente não é para todos, podendo criar um misto de ódio e paixão. Todo o seu universo é gerado proceduralmente, isto é, o seu conteúdo é gerado algoritmicamente através de uma fórmula, que acabou por ser apelidada de "super formula",  por ser uma revolução na indústria dos videojogos.

Contudo, os seus 18 Quintilhões de planetas gerados ficam só pelo número, pois custa a acreditar que só existam apenas 4 raças inteligentes com quem nós possamos dialogar... na verdade, com uma dimensão destas pedia-se que as de NPC's  fossem bem mais.

Visualmente o jogo é muito bonito o que incitiva a sua exploração, damos por nós a deslumbrar com as suas paisagens devido ao seu estilo artistico, bem como as suas paletas de cores muito vivas.  Contudo, nem tudo é tão deslumbrante. A ausência de missões e de objectivos concretos podem tornar o jogo repetitivo em pouco tempo. No lugar das missões, o jogo tem um sistema de objectivos através de trigger, ou seja, depois de atingirmos um determinado requesito, o jogo diz-nos o que devemos fazer, o que nos dá uma sensação de  desorientação. A partir daí, é um "labuta" constante para progredirmos nos upgrades da nave, e para termos um "warp" mais poderoso que nos permita alcançar o centro da galáxia mais rapidamente.


O progresso de expansão das slots da nave, arma e exofato é bastante previsível, sendo que só podemos progredir de 1 em 1, sendo impossivel por exemplo arranjar uma arma com mais 3 ou 5 slots que a nossa. Já as naves podem ser adquiridas por outros NPC's, e só assim é que podemos ter o factor supresa de conseguir arranjar uma nave com bastante mais slots que a que temos, pois se estamos à espera de arranjar uma nave despenhada que tenha mais que 1 slot que a nossa, é melhor esquecer.
Os biomas, apesar de serem bastante diversificados, ao fim de um tempo deixam-nos com uma sensação de "deja vu".

O numero de animais por planeta também é bastante reduzido... nunca vi mais que 10 especies diferentes, mesmo em planetas de grandes dimensões. A suas animações são bastante limitadas, originando pouco interesse pela sua pesquisa. Já a sua geração procedural não é nenhuma novidade, pois já temos um jogo que faz isso, ele chama-se Spore.

O adiamento de No Man's Sky por motivos de polimento são injustificáveis, pois os bugs e paragens são constantes... não há um dia que jogue e não tenha um crash! Da última vez que joguei foram 6 seguidos, isto na versão PS4, mas bem pior se encontra a versão para PC, pois apresenta problemas de performance bem mais graves. Já está em desenvolvimento uma atualização para colmatar esses problemas, sendo que  também introduzirá a possibilidade de estabelecermos um acampamento/base, assim como a possibilidade de ter naves de grande porte.

No Man's Sky está todo ele envolto em polémicas. No que toca à polemica da ausência de multiplayer, Sean Murray, diretor executivo da Hello Games, sempre disse que No Man's Sky iria ser uma experiência single-player. No entanto, não tendo dito directamente que o jogo iria ter multiplayer, fez-nos pensar que inventualmente pudessemos encontrar jogadores pela galáxia fora. O caso mais recente foi uma entrevista onde disse que poderiamos jogar com amigos. A juntar a isso, está um suposto erro tipografico na versão limitada do jogo, onde se encontra um autocolante a ocultar a componente multiplayer do jogo.


Podemos ficar a pensar, hummm será que o jogo tinha multiplayer e por alguma razão foi nos retirado? Apesar de ter dito que o jogo é uma experiência single-player, acho que um modo multiplayer só iria aumentar a longevidade e dar mais dinamismo ao jogo.

Em suma, acho que o "hype" todo criado em torno do jogo só foi prejudicial, pois com expectativas elevadas é mais fácil sair-se insatisfeito.

No Man's Sky é um universo cheio de nada, tendo em conta a sua grandiosidade, pois os objectivos quase inexistentes e a sensação de desafio quase nula, fazem com que o jogo fique muito aquém do que todos esperavam... até parece que o jogo foi entregue incompleto. Mas para quem é fã incondicional de ficção cientifica e de exploração, certamente não vai ficar desagradado com o jogo.

Como prometido, aqui fica a análise em vídeo. Não se esqueçam de subscrever o canal FAPS e dar like caso queiram ver mais vídeos como este!

  • 7Gráficos
  • 6Som
  • 6Jogabilidade
  • 6Nível de envolvência
  • OK
    “quem é fã incondicional de ficção cientifica e de exploração, certamente não vai ficar desagradado”
    6.25
    comments powered by Disqus
    Usamos cookies para lhe dar a melhor experiência online. Ao usar o nosso website, está a concordar com o uso dos nossos cookies em concordância com a nossa política de privacidade. Saiba mais aqui.